001-Chuvas de graça

"...e farei descer a chuva a seu tempo; chuvas de bênção serão. E as árvores do campo darão o seu fruto, e a terra dará a sua novidade, e estarão seguras na sua terra; e saberão que eu sou o SENHOR," (Ezequiel 34:26 e 27)

 

Letra: Daniel Webster Whittle
Música: James McGranahan
Tradução: J.R.

 

 

CUVAS DE GRAÇA
THERE SHALL BE SHOWERS OF BLESSINGS

1
Deus prometeu com certeza
Chuvas de graça mandar;
Ele nos dá fortaleza,
E ricas bênçãos sem par

Coro
Chuvas de graça,
Chuvas pedimos, Senhor;
Manda-nos chuvas constantes,
Chuvas do Consolador.


2
Cristo nos tem concedido
O santo Consolador,
De plena paz nos enchido,
Para o reinado de amor.

3
Dá-nos, Senhor, amplamente,
Teu grande gozo e poder;
Fonte de amor permanente,
Põe dentro de nosso ser.

4
Faze os teus servos piedosos,
Dá-lhes virtude e valor,
Dando os teus dons preciosos,
Do santo Preceptor.

 

 

 

 

 

 

1.
There shall be showers of blessing:
This is the promise of love;
There shall be seasons refreshing,
Sent from the Savior above.

Refrain
Showers of blessing,
Showers of blessing we need:

Mercy drops round us are falling,
But for the showers we plead.

2.
There shall be showers of blessing,
Precious reviving again;
Over the hills and the valleys,
Sound of abundance of rain.

3.
There shall be showers of blessing;
Send them upon us, O Lord;
Grant to us now a refreshing,
Come, and now honor Thy Word.

4.
There shall be showers of blessing:
Oh, that today they might fall,
Now as to God we’re confessing,
Now as on Jesus we call!

5.
There shall be showers of blessing,
If we but trust and obey;
There shall be seasons refreshing,
If we let God have His way.

HISTÓRIA

 

Este hino, cujo título em inglês é THERE SHALL BE SHOWERS OF BLESSINGS, foi escrito pelo major Daniel Webster Whittle, em 1883, militar e comerciante que se transformou em evangelista e hinista. A melodia foi composta por James McGranahan, que compartilhava o ministério de Whittle como músico, depois da trágica morte de Philip Paul Bliss.


Ira David Sankey publicou o hino pela primeira vez, na sua coletânea Gospel Hymns N° 4 em 1883 e o incluiu em todas as edições que se seguiram. O nome da melodia apareceu desde sua primeira publicação. Seguiu-se também a publicação do hino nas diversas edições do Sacred Songs and Solos, que Sankey publicou na Inglaterra.


Existe também a tradução de Salomão Luiz Ginsburg, produzida em 1890 a qual teve a revisão de Henry Maxwell Wright. Esta tradução é a que faz parte de diversos hinários em lingua portuguesa.

 

 

CHUVAS DE BÊNÇÃOS
Tradução: Salomão Luiz Ginsburg

 

1.

Chuvas de bênçãos teremos:
É a promessa de Deus;
Tempos benditos veremos,
Chuvas de bênçãos dos céus.

CORO:
Chuvas de bênçãos!
Chuvas de bênçãos dos céus !
Gotas benditas já temos;
Chuvas rogamos a Deus.

 

2.
Chuvas de bênçãos teremos:
Vida, paz, gozo e perdão;
Os pecadores indignos
Graça dos céus obterão.


3.
Chuvas de bênçãos teremos,
Manda-no-las, ó Senhor !
Dá-nos também o bom fruto
Desta palavra de amor.

 

4.
Chuvas de bênçãos teremos,
Chuvas mandadas dos céus;
Bênçãos a todos os crentes,
Bênçãos do nosso bom Deus.